Encontro virtual de professores do projeto “Vamos Cuidar do Planeta”

Encontro Virtual VCP

No dia 3 de julho de 2020 a ASPEA promoveu um encontro virtual de professores do projeto Vamos Cuidar do Planeta!, através da plataforma Zoom. Este encontro surge no seguimento da primeira edição da formação de professores do projeto, com o título Cultura democrática e consciência cívica nos jovens – Vamos Cuidar do Planeta!.

O encontro virtual contou com 50 participantes, entre os quais, muitos dos professores participantes no projeto, os diretores dos CFAE da Lezíria e Médio Tejo, a equipa de projeto da ASPEA, e a Dra. Ana Teresa Santos, gestora do eixo 1 do programa Cidadãos Ativ@s, da Fundação Calouste Gulbenkian.

O encontro iniciou com a apresentação dos resultados do projeto e da formação de professores, fazendo-se um ponto de situação de todas as atividades realizadas. De seguida, cinco dos professores partilharam as suas experiências de participação no projeto, algo extremamente importante para se perceber como tinha sido abordado o projeto nas suas escolas e com os seus alunos. Houve ainda espaço para os restantes professores colocarem questões, as quais foram esclarecidas entre todos.

Por fim, a gestora do projeto Vamos Cuidar do Planeta! apresentou e explicou o programa previsto para o projeto no próximo ano letivo, 2020/2021, incluindo a formação de professores e as conferências escolares, regional, nacional e europeia. Foram realizadas ainda duas intervenções finais, uma da Dra. Ana Teresa Santos e outra do Dr. Joaquim Ramos Pinto.

Algumas conclusões do encontro:

  • O projeto trouxe um fortalecimento do trabalho colaborativo entre os 5 CFAE, pois trata-se de um projeto integrador em todas as linhas da política educativa atual.
  • Destacou-se a importância do projeto para com a comunidade local, pelo processo de intervenção cívica e pelo trabalho colaborativo entre todos os intervenientes (escolas, associações, locais, etc). O projeto contribuiu para o uso do território e dos seus intervenientes como recurso educativo.
  • A formação e envolvimento ativo de professores é chave para a sustentabilidade dos projetos. Também para poder aplicar em vários contextos as dinâmicas e metodologias aprendidas.
  • O uso das metodologias participativas e ativas para o processo da formação e depois para as sessões nas escolas fortalece o processo de apropriação do projeto.
  • Sentiu-se a necessidade da formação ter sido organizada no início do ano letivo, para poder programar as sessões e incluir o projeto no plano educativo da escola.
  • Sempre que possível, recomenda-se o uso de uma hora do DAC (Domínio de Autonomia Curricular) ou disciplina de Cidadania, para a implementação do projeto. Os DAC podem ser momentos de trabalho em projeto interdisciplinar. Definir uma hora de trabalho semanal também facilita caso se queiram organizar visitas de estudo ou saídas da escola para a realização de ações do projeto. Comunicar com antecedência à direção da escola para aprovação no plano escolar e organização interna.
  • Refletir sobre o tema escolhido em quase 100% dos projetos escolares: os resíduos (problemas de separação, limpeza dos espaços escolares, plásticos, etc.).
  • De forma geral, os interesses de participação dos professores foram: atualidade do tema, gosto pelo tema, necessidade de progressão na carreira, temas dos conteúdos programáticos no currículo.
  • Temas de interesse a aprofundar, eventualmente em futuros webinars ou nas próximas ações de formação: educomunicação, fake news e objetivos do desenvolvimento sustentável.

 

Foi um encontro enriquecedor e com bom ambiente, que permitiu a troca de experiências e o reforço da ligação ao projeto, mesmo à distância, dos professores que participam no mesmo.

O encontro virtual foi gravado e dividido em 3 partes, que se encontram disponíveis no canal de Youtube da ASPEA:

  • Parte 1 – Apresentação dos resultados do projeto e da formação de professores;
  • Parte 2 – Partilha de experiências dos projetos escolares;
  • Parte 3 – Questões e respostas, o projeto “Vamos Cuidar do Planeta em 2020/2021 e considerações finais.